Goiás

Namorada de motorista estuprada e morta por empresário faz declaração após o crime: ‘Meu amor’

Empresário foi preso e confessou homicídio. Segundo a polícia, ele ainda estuprou a vitima após ela estar morta.

Vanusa da Cunha Ferreira com a namorada, Juliana Pereira. (Foto: Reprodução/Facebook)
Vanusa da Cunha Ferreira com a namorada, Juliana Pereira. (Foto: Reprodução/Facebook)
A namorada da motorista de aplicativo Vanusa da Cunha Ferreira, que foi morta por um passageiro após se negar a ter relação sexual com ele, postou em uma rede social uma mensagem relatando a tristeza com o crime. “Você foi a minha companheira de vida, meu bem, minha melhor amiga e o meu amor”, disse na publicação. O empresário Parsilon Lopes dos Santos foi preso e confessou o crime.

A postagem foi feita na quarta-feira (23). Juliana Pereira disse que sentia uma tristeza imensa com a morte de Vanusa. “A falta que fica é imensurável”, disse.

Ainda na mensagem, ela relata que gostaria de abraçar novamente a namorada e que espera reencontrá-la novamente algum dia. “Coloque seus olhos em mim e me deseje coisas boas. Me indique o caminho e me espere. Um dia encontro você novamente, sei disso”, completou.

Namorada faz declaração a motorista de aplicativo morta após corrida. (Foto: Reprodução/Facebook)
Namorada faz declaração a motorista de aplicativo morta após corrida. (Foto: Reprodução/Facebook)

Vanusa, que além de motorista de aplicativo era técnica de enfermagem, foi morta na madrugada de sábado (19) após uma corrida. Ela prestava serviços há cerca de quatro meses para o serralheiro Parsilon Lopes dos Santos, que estava começando a agenciar cantores.

Na noite anterior ao crime, a motorista levou três músicos e o empresário até um bar para uma apresentação. Depois, deixou os músicos em casa e seguiu com Parsilon até uma chácara no Jardim Copacabana, onde ele estava dormindo.

“Na versão dele, ele diz que os dois estavam no carro e achou que tinha pintado um clima entre eles e aí começou a abraçá-la, fazer algumas brincadeiras. Ela negou, disse até que aquela não era a orientação sexual dela”, explicou a delegada Mayana Rezende.

Vanusa da Cunha Ferreira morreu após transportar passageiro, em Goiânia. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Vanusa da Cunha Ferreira morreu após transportar passageiro, em Goiânia. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

A delegada explicou ainda que, nesse momento, o suspeito decidiu tentar estuprar a mulher. Para fugir dele, Vanusa saiu do carro

“Ele a segurou com força pelo braço. Eles acabaram caindo. Vanusa bateu a cabeça no meio-fio e perdeu os sentidos. Depois disso, ele ainda bateu a cabeça da vítima novamente contra o chão”, completou.

O empresário confessou o crime, mas diz que a morte foi por acidente. “Foi uma fatalidade, errei e quero pagar. Me arrependo do que fiz”, disse Parsilon.

Depois da morte, o suspeito ainda tentou abusar sexualmente da vítima. “Eu tirei a roupa, cheguei a fazer algumas coisas, mas não completei o ato”, completou.

Parsilon vai responder por homicídio qualificado, tentativa de estupro e vilipêndio de cadáver.

Parsilon Lopes, suspeito de matar motorista de aplicativo Vanusa da Cunha Ferreira. (Foto: Vitor Santana)
Parsilon Lopes, suspeito de matar motorista de aplicativo Vanusa da Cunha Ferreira. (Foto: Vitor Santana)

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo