Distrito Federal

Bloco das Montadas é eleito pela segunda vez o melhor do carnaval de Brasília

Feito por drags e com apenas três anos de existência, o bloco reuniu cerca de 60 mil pessoas no domingo de carnaval.

Com apenas três anos de existência, o Bloco das Montadas começa a misturar tradição com diversidade. (Foto: Divulgação/Bruno Cavalcanti)
Com apenas três anos de existência, o Bloco das Montadas começa a misturar tradição com diversidade. (Foto: Divulgação/Bruno Cavalcanti)

Realizado pelo Distrito Drag, a 3ª edição do Bloco das Montadas foi eleito como o melhor bloco de carnaval do Distrito Federal de 2020 pelo jornal Correio Braziliense na 5ª edição do #CBFolia. Pelo segundo ano consecutivo, os componentes atenderam os critérios da comissão julgadora, que levou em consideração animação, estrutura, sustentabilidade e respeito ao próximo. A disputa acirrada ainda levou ao pódio, em segundo lugar, o bloco Seu Júlio, que tinha ficado com o bronze em 2019, e no terceiro lugar, o tradicional Concentra Mas Não Sai, com 20 anos de folia brasiliense. Os finalistas foram anunciados nesta sexta-feira (8/3).

Com apenas três anos de existência, o bloco reuniu cerca de 60 mil pessoas no domingo de carnaval, no Setor Bancário Norte. Com o tema “Brasília, uma cidade montada”, o evento trouxe atrações nacionais como o Candy Bloco, uma banda carioca que transforma hits do pop em músicas de carnaval, e a Mulher Pepita.

O Bloco das Montadas trouxe atrações nacionais como o Candy Bloco e a Mulher Pepita. (Foto: Divulgação/Bruno Cavalcanti)
O Bloco das Montadas trouxe atrações nacionais como o Candy Bloco e a Mulher Pepita. (Foto: Divulgação/Bruno Cavalcanti)

“A gente quis brincar com o nome do bloco, com a questão da montação, já que somos todas drags, e Brasília, que também acaba sendo uma cidade montada. A decoração foi toda branca em homenagem aos monumentos da cidade, e em um determinado momento a gente pixava essa parte branca com as drags colocando cor na cidade”, relembrou Mary Gambiarra, diretora artística do bloco.

Mary Gambiarra, diretora artística e Ruth Venceremos, diretora-geral do Bloco das Montadas. (Foto: Divulgação/Bruno Cavalcanti)
Mary Gambiarra, diretora artística e Ruth Venceremos, diretora-geral do Bloco das Montadas. (Foto: Divulgação/Bruno Cavalcanti)

A diversidade e a inclusão também estiveram nos bastidores de criação do bloco. De acordo com os organizadores, foram mais de 200 empregos diretos, além de 20 trans e drags que trabalharam como intérpretes de libra. Para Ruth Venceremos, 35, diretora-geral, o prêmio é resultado de muito trabalho para as comunidades envolvidas. “Para a gente é uma honra participar de mais uma edição desse prêmio, porque a comunidade LGBT está escanteada das políticas públicas. Dedicamos esse prêmio a toda comunidade LGBT e nossos apoiadores e patrocinadores: Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF, FAC, Victoria Haus, Teatro Mapati, Ambev e Quero Color Cosméticos”, agradeceu.

Mostre mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo