Rio de Janeiro

Casal é preso no Rio após pagar hotéis cinco estrelas com cartões clonados

Investigações mostram que grupo aplicava golpe em estadias de estabelecimentos de luxo na cidade.

Jhony de Souza Oliveira e Aaron Salles Fernandes Silva Torres: presos por estelionato e organização criminosa. (Foto: Reprodução)
Jhony de Souza Oliveira e Aaron Salles Fernandes Silva Torres: presos por estelionato e organização criminosa. (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil do Rio investiga um grupo de criminosos que, usando cartões clonados, desfrutam da estadia de hotéis cinco estrelas na cidade. Segundo informações do site Época, um casal foi preso acusado de aplicar o golpe em pelo menos dois estabelecimentos de alto luxo em Copacabana, na Zona Sul, e em Santa Teresa, na Região Central.

De acordo com as investigações da 13ª DP (Ipanema), Jhony de Souza Oliveira, de 35 anos, e Aaron Salles Fernandes Silva Torres, de 37, passaram o Reveillon hospedados em um hotel em Copacabana e prorrogaram a estadia até dia 12 de janeiro.

Eles estavam em um quarto equipado com banheira de hidromassagem com diárias em torno de R$ 1.500 e pagaram a conta com diversos cartões clonados. Meses depois, o hotel foi notificado da fraude e comunicou o fato a delegacia.

Aaron Salles Fernandes Silva Torres, hospedado em hotel de alto luxo. (Foto: Reprodução)
Aaron Salles Fernandes Silva Torres, hospedado em hotel de alto luxo. (Foto: Reprodução)

Na última semana, novamente o casal fez uma reserva em um estabelecimento da rede, dessa vez em Santa Teresa. Ao efetuar o check-in, no valor de aproximadamente R$ 6 mil, foram presos em flagrante. Os policiais constataram que a dupla montava cartões digitais com dados de terceiros e pagava as tarifas pela internet.

Aaron e Jhony escolhem quartos de alto luxo. (Foto: Reprodução)
Aaron e Jhony escolhem quartos de alto luxo. (Foto: Reprodução)

Segundo a delegada Natacha Oliveira, responsável pelo inquérito, Aaron e Jhony irão responder por estelionato e organização criminosa. Em depoimento, eles negaram que tenham praticado golpes. Outros membros da quadrilha continuam sendo investigados.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo